Menu

HTLV 1 > Prevalência






HTLV-I Prevalência A infecção pelo HTLV-I é endêmica no sudoeste do Japão (10), na Bacia Caribenha (11), Melanesia (12) e em partes da África (13-15). Em algumas áreas, onde a infecção pelo HTLV-I é endêmica, a taxa de prevalência é tão alta quanto 15% da população geral. As soroprevalências aumentam com a idade; em grupos de pessoas mais velhas, as taxas são normalmente mais altas entre as mulheres. Nos EUA, a taxa média de soroprevalência de HTLV-I/II entre doadores de sangue voluntários é calculada em 0.016% (6).

Doadores infectados pelo HTLV-I informam, freqüentemente, uma história de nascimento em países endêmicos para o HTLV-I ou contato sexual com pessoas do Caribe ou Japão.

Um número menor informa uma história de uso de droga injetável ou transfusão de sangue. O HTLV-I também foi observado entre agrupamentos de negros do sudeste dos EUA (16) e em imigrantes de áreas HTLV-I-endêmicas, que residem em Brooklyn, Nova Iorque, EUA (17). Na tabela 1, está resumida a soroprevalência de algumas cidades do Brasil com diagnósticos de bancos de sangue.

Pode-se verificar que a cidade de Salvador é a que possui a maior prevalência do HTLV-I no Brasil, com cerca de 4 vezes a prevalência encontrada em São Paulo, por exemplo.